Passar para o Conteúdo Principal Top

Apresentação

No Município de Castro Verde acreditamos que o envolvimento direto dos cidadãos no processo de governação local constitui um fator decisivo na busca contínua de um melhor futuro para todos. A implementação do Orçamento Participativo no concelho de Castro Verde irá dar cumprimento a uma proposta eleitoral do atual executivo, mas mais importante do que isso, vai permitir aprofundar a relação entre eleitos e eleitores, dotando-a de confiança e de proximidade. Estamos convictos de que só com o reforço de uma cidadania participativa e ativa na definição das políticas públicas do nosso concelho é possível elevarmos o processo democrático em Castro Verde a outro patamar. Um patamar onde todos têm o poder de decisão! É esse o nosso compromisso. O Orçamento Participativo, instrumento de relevo em dezenas de autarquias em todo país, será um projeto de caráter inovador em Castro Verde e permitirá a cada cidadão com idade igual ou superior a 16 anos, estudante, residente ou recenseado no nosso concelho, deliberar acerca do destino de uma parte das verbas inscritas nas Grandes Opções do Plano, para o ano de 2020. 

A ideia e a decisão são suas.

O compromisso é nosso. Participe!

 

 O Presidente da Câmara Municipal de Castro Verde,

António José de Brito

imagem

 

O que é o OP?

O Orçamento Participativo é um processo democrático participado através do qual os cidadãos de uma comunidade decidem o destino de uma parte dos recursos públicos disponíveis. Este processo tem como principais objetivos potenciar nos cidadãos o exercício de uma cidadania ativa, participativa e responsável; reforçar a credibilidade das instituições e da própria democracia; contribuir para uma maior aproximação das políticas públicas às expetativas e necessidades dos cidadãos; incentivar a interação entre eleitos, técnicos municipais e cidadãos na procura de soluções para melhorar a qualidade de vida no concelho.

O Orçamento Participativo de Castro Verde assenta num modelo de caráter deliberativo, dividido em dois períodos. Numa primeira fase os cidadãos são convidados a apresentar as suas propostas de investimento público e, numa fase posterior, decidem, através de votação, as propostas vencedoras a incluir no Orçamento Municipal para 2020.